Entenda sobre o Metaverso, e como as empresas estão investindo nesse novo espaço virtual

Um dos temas que dominaram a Internet nos últimos meses foi Metaverso como o futuro da interação social no mundo virtual. Mas, você deve estar se perguntando o que é o Metaverso? O CEO do Facebook que inventou? Por que as empresas estão apostando tanto nesse assunto?

Publicidade

Primeiramente, antes de iniciarmos esse assunto, o Metaverso não foi fundado pelo Mark Zuckerberg. Então, esse bilionário fez recentes investimentos, e até mudou o nome do Facebook para Meta, simulando o termo do Metaverso, que muito provavelmente você já teve interação. Por isso, explicaremos nesse artigo todas essas perguntas, continue acompanhando.

O que significa o Metaverso?

Tudo começou com o Neal Stephenson, que em seu livro publicado ‘Snow Crash’ utilizou o termo pela primeira vez, em 1992.  Na ficção científica, o termo se refere ao mundo virtual 3D, onde contém pessoas reais em avatares virtuais. Ou seja, mesmo que esse termo foi citado no livro, esse mundo virtual já é retratado em filmes há muito tempo. Por exemplo, o filme Matrix e o Ready Player One, são diferentes, mas que mostram o termo Metaverso de diferentes maneiras.

Publicidade

Portanto, esse conceito é definido nesse livro como ‘’um mundo de simulação em 3D, que mostram identidade, histórias e objetos de forma sincronizada ilimitadamente, com presenças individuais. Contudo, para simplificarmos esse termo, o Mark especificou como: Espaços virtuais que podem ser explorados e criados juntamente com outras pessoas que não precisam estar no mesmo lugar físico que você.

Como o Metaverso mudará o cenário das empresas?

Mesmo que o Metaverso seja interação social, com os novos investimentos no assunto, o esperado é que futuramente marcas e empresas criem plataformas e ambientes virtuais que sirvam para fornecer e vender produtos. Então, com essa função, será possível ter varias gamas com as mais variadas atividades para o usuário. Ou seja, além das criações de ambientes, será possível criar recursos de gamificação, com o intuito de render benefícios e engajar os usuários.

Publicidade

Portanto, futuramente poderemos entrar nessas lojas 3D de grandes empresas, e efetuar compras, participar e ter benefícios. Temos como exemplo o jogo Fortnite, que possibilitou que os jogadores acessem programas que mostram estratégias certas para jogar. No entanto, essa maneira de interação só irá fazer sucesso de acordo com o comportamento do público.

Será que o Brasil terá acesso rápido a essas informações?

Para adquirir esse recurso, é preciso de um hardware especifico para acessar. Embora a realidade aumentada e a virtual possa ser acessada de um computador ou celular, no Brasil provavelmente demorará alguns anos essa implementação. Afinal, é preciso de muito investimento para construir esses espaços virtuais, fazendo com que empresas e marcas ganhem essa largada de estudos e implementação do Metaverso.

Para finalizar, mesmo que essa função não seja nova, esse assunto chegou para ficar. Por isso, no Brasil o investimento de empresas e empresários será o caminho para que essa nova forma de interação chegue no país, e auxilie no cotidiano dos brasileiros.

 

Veja também: Leilão 5G: No primeiro dia de arrematação foram arrecadados aproximadamente R$7 bilhões em outorgas

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*