Pandemia foi o motivo para a onda de inovação no varejo revolucionando o consumo

A pandemia causada pela Covid-19 mudou completamente a forma de viver, trabalhar e interagir com outras pessoas, ou seja, esse acontecido exigiu a necessidade de inovação. Segundo a pesquisa global Accenture (NYSE: ACN), algumas empresas de varejo, viagens e bens de consumo estão começando a reinventar os seus serviços e produtos. Contudo, após um ano de isolamento social, 95% dos respondentes contaram que tiveram alguma mudança no estilo de vida que se tornou permanente.

Publicidade

Portanto, trabalhar em casa, mudar os padrões de viagem e aumentar a demanda de produtos locais estão levando várias empresas a repensar como atendem os consumidores que precisaram se adaptar a pandemia. Agora, um novo estudo com mais de 19 países com 9.650 pessoas confirma dados da Accenture: muitas mudanças comportamentais possivelmente são a longo prazo.

A mudança da pandemia

O vírus da Covid-19 levou a uma mudança profunda, com as empresas implementando mudanças em várias áreas simultaneamente e retreinando trabalhadores que antes era um plano para alguns anos. Diversas empresas que são voltadas para o consumidor reestruturaram suas operações na nuvem, enfrentando pressões de custo e continuando a investir em segurança e resiliência, construindo a infraestrutura que precisa para conseguir a inovação e se preparar para o sucesso futuro.

Publicidade

Terceiro espaço de trabalho

Com a pandemia, muitos trabalhadores começaram a atuar em regime home office, e ficou claro que, para a maioria deles, é possível escolher onde e como trabalhar, deve ser permanente mesmo que a pandemia acabe. Dos entrevistados, 79% querem trabalhar em um “terceiro espaço” (não seja em casa e nem na empresa). Além disso, metade dessas pessoas estariam dispostas a pagar até US$ 100 por mês do bolso para trabalhar em bares, cafés, hotéis ou outros locais com espaços dedicados.

No entanto, para essas pessoas o desejo de trabalhar em lugares ‘’terceiros’’ vem com diversas mudanças, principalmente para a viagens de negócios. Dos participantes do estudo, 46% não tinham planos de viajar pós-pandemia ou pretendiam reduzir pela metade os custos de viagens anteriores.

Publicidade

Mudança que vida que venho para ficar

Por último, os hábitos de trabalho e viagens não foram os únicos que mudaram permanentemente, muitas pessoas também acreditam que seus hábitos de compras mudaram muito durante esse período. A pesquisa mais recente reforça os dados publicados anteriormente pela Accenture de que o crescimento significativo do comércio eletrônico provavelmente permanecerá ou crescerá ainda mais.

Por exemplo, a porcentagem de usuários de comércio eletrônico anteriormente pouco frequentes (definidos como usuários que fizeram menos de 25% de suas compras usando canais online antes do surto de coronavírus) compraram produtos como alimentos, decoração, moda e luxo online -19- desde que é um aumento de 343% desde o início da pandemia.

Veja também: Metaverso: Qual será o futuro do e-commerce com essa tecnologia?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*