Como funciona um Coworking e por que as startups estão investindo neste modelo de trabalho?

Sem dúvidas, nos últimos anos a sociedade sofreu diversas mudanças que trouxeram mais inovação e tecnologia para o dia a dia. Essas mudanças têm sido constantes, e o mindset das novas empresas deve se manter atualizado e seguir lado a lado com as novas possibilidades que surgem, foi por isso que surgiu o novo modelo de coworking.

Publicidade

Uma dessas novas possibilidades trazidas pelo âmbito empresarial é o Coworking, um ambiente de trabalho inovador que veio para revolucionar a forma como pequenas empresas e profissionais autônomos se relacionam, tornando-os cada vez mais próximos.

Publicidade

O coworking pode ser considerado o escritório do futuro, pois reúne diversas empresas, freelancers e autônomos em um só espaço físico compartilhado, quando houver a necessidade. Dessa forma, é possível alugar uma estação de trabalho de acordo com as suas demandas e se reunir com diversas pessoas em um ambiente criativo e inspirador.

Quando começou?

A ideia teve início nos Estados Unidos pouco depois dos anos 90, quando dois empreendedores resolveram criar a Hat Factory, um apartamento utilizado por eles que era compartilhado com profissionais freelancers. Depois disso, o movimento se espalhou rapidamente pelo mundo, tornando-se uma nova tendência do mercado.

Publicidade

Segundo uma pesquisa realizada pela Revista Exame, a utilização de espaços compartilhados aumentou 568% no Brasil entre os anos de 2015 e 2019. Isso mostra que a tendência realmente veio para ficar e tem tudo para continuar fazendo sucesso entre os microempreendedores e autônomos.

Como funciona

Mostrando que para ter uma boa localização e um espaço agradável para receber os clientes não é preciso gastar muito, o coworking conta com planos por hora, mensais, ou até mesmo anuais para atender às demandas do seu negócio e suprir suas necessidades durante o tempo que precisar.

Assim, basta você alugar uma estação de trabalho e poderá dividir com outros profissionais as áreas comuns do local, além das despesas gerais do espaço, como água, luz e aluguel, ampliando o seu networking para trocar experiências de forma mútua e criar mais conexões.

Vale lembrar que atualmente existem mais de 2,5 mil espaços de coworking no Brasil que atendem cerca de 200 mil pessoas e/ou empresas. Agora, com a reabertura dos escritórios nas grandes capitais, a tendência é que esse número suba cada vez mais e se torne uma ótima oportunidade para as novas empresas que surgem no cenário pós pandêmico.

Serviços oferecidos

Contudo, além dos benefícios já citados, grande parte dos coworking oferecem salas privativas para atender os clientes de forma reservada, e estacionamento, internet, estações compartilhadas, recepção, salas de reunião, impressoras e uma estrutura física incrível para acolher a empresa e os trabalhadores autônomos.

Dessa forma, você poderá trabalhar em um ambiente confortável, aconchegante e organizado sem precisar se preocupar em comprar ou alugar um escritório, podendo aproveitar o foco total nos objetivos dos seus negócios, e aproveitar todas as outras vantagens que essa inovação trouxe aos empreendedores.

Pontos negativos

Apesar de todos os prós que o espaço oferece, poupando toda a preocupação com escritório, alvará de funcionamento, manutenção do imóvel e entre outros. Então, antes de fechar o plano do coworking, é preciso pesquisar bastante para ver se atende todas as necessidades do seu negócio e se a adaptação ao espaço será fácil.

Isso porque é necessário manter o foco e evitar possíveis distrações, considerando que os espaços são compartilhados com diversos outros trabalhadores. Além do mais, para quem está acostumado a sempre trabalhar sozinho, a falta de privacidade pode ser uma dor de cabeça por conta da quantidade de pessoas circulando no ambiente.

A dica é buscar coworkings que correspondam ao nicho do seu negócio e se juntar aos profissionais da área. Dessa forma, a troca de experiências e conhecimentos será uma via de mão dupla e poderá colaborar na ampliação da sua rede de conexões.

Saiba também: Empreendedorismo e inovação tecnológica: Como ambos geram ideias para o mercado

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*