Quase um terço dos fundadores de startups no Brasil são empreendedores de segunda viagem

O sistema de fundadores de startups de inovação no Brasil já teve mais de um negócio. Este é o resultado de uma pesquisa feita pelo Distrito com a MAYA Capital. Segundo o estudo, 66,8% dos fundadores de startups do setor afirmam que já fazem parte do cenário das startups.

Publicidade

E mais: 29,1% deles já estiveram envolvidos com outra empresa que criou o segmento. Segundo o CEO do Distrito, Gustavo Gierun ter um segundo empreendedor é um bom sinal para o país. Que significa que temos um ciclo virtuoso de impulsionar novos negócios.

Contudo, essa pesquisa foi feita com aproximadamente 223 criadores de startups no Brasil, o objetivo foi mapear o processo de inovação no Brasil, fazendo uma análise do perfil dos fundadores e suas visões sobre pontos estratégicos de seus negócios, como padrões de investimento e trabalho.

Publicidade

A pesquisa

Primeiramente, a pesquisa mostrou que em estágio inicial 76,7% das empresas estão no mercado a pelo menos três anos. Ou seja, esses dados causam impactos diretos na quantidade de funcionários, então, 25,6% dessas startups contém apenas um fundador, enquanto outras possuem menos de 9 (35,4%).

Em termos de financiamento, a pesquisa mostra que 58% das empresas ainda não receberam investimento estrangeiro. Considerando apenas aqueles que levantaram recursos privados, 38,5% dos empresários contribuíram por meio da busca ativa de recursos. Portanto, a segunda forma mais comum foi a inversa (28,6%).

Publicidade

A maioria dos respondentes (52,2%) disse que sua empresa estava trabalhando totalmente de casa – apesar de todas as dificuldades. Contudo, para 44,5%, trabalhar remotamente é tão produtivo quanto trabalhar pessoalmente. Por outro lado, 14,1% acreditam que trabalhar em casa é menos eficiente.

Demissões e escolaridade

Em relação às demissões, 54,5% das startups disseram que não tiveram demissões ano passado. Por outro lado: 40% das startups planejam contratar pelo menos 5 pessoas e outros 25,9% planejam contratar de 6 a 10 pessoas. No entanto, segundo empresários, os profissionais da área de TI são difíceis para achar (59,6% das respostas).

De acordo com a pesquisa, 80% dos criadores têm entre 25 e 44 anos. Os empreendedores com idades menor de 25 e mais de 50 anos estão em 5,5% e 8,6%, respectivamente. Quanto à educação, o estudo mostra que 95% dos fundadores de startups são formados no ensino superior, sendo um total de 54,7% com pós-graduação e/ou MBA.

Localidade

A pesquisa analisou dados demográficos e revelou que São Paulo é uma das melhores localidades para empreendedores. Além disso, o estado abriga 63,7% das startups sediadas no país. O Norte e o Nordeste são as regiões menos ‘’favoráveis’’, com 2,3% e 1,8%.

Diversidade e inclusão

A pesquisa mostra que 45% das startups têm programas informais de inclusão e diversidade, 13% apenas tem políticas formais e 18% estão em processo de implementação. No entanto, 24% dos empresários, por enquanto, ​​não têm planos de implementar políticas de diversidade e inclusão.

Veja também: Pandemia foi o motivo para a onda de inovação no varejo revolucionando o consumo

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*